Dólar hoje 4,030
23ºC em Arapiraca, Alguns chuviscos
André Avlis

Sobre o autor

Radialista, natural de Maceió, cresceu em Arapiraca e trabalhou nas rádios, Cidade, A Voz do povo é a voz de Deus, Metropolitana FM, Novo Nordeste, Nova FM e atualmente trabalha na Pajuçara FM.
Postada em 11/07/2019 08:06 | Atualizada em 11/07/2019 08:29
COPA DO BRASIL: E mais uma vez, a arbitragem VARcilou
Lance polêmico da noite aconteceu no empate de Athlético-PR 1x1 Flamengo, na Arena da Baixada.
Lance em que Diego Alves comete a infração.

Foi no mínimo bizarro. Para não dizer outra coisa. E sem clubismo.

A grande polêmica aconteceu aos 10min de jogo. Quando Diego Alves, goleiro do Flamengo, dominou a bola com as mãos fora da área em um lance claro de gol do Furacão.

Fazendo isso, o goleiro cometeu uma irregularidade, porque pegou a bola com as mãos fora da área. Como a bola estava em disputa, Diego comete uma infração e impede uma situação clara de gol, uma vez que o atacante Marcelo Cirino tinha a possibilidade de dominar a bola. No lance, o árbitro Anderson Daronco nada marcou. E "segue o jogo!".

E o VAR? Onde ele entra nessa história?

Segundo os ex-árbitros e especialistas de arbitragem, Carlos Simon, Sandro Meira Richi e Paulo César de Oliveira, o VAR poderia entrar em cena e recomendar a revisão do lance. Podendo assim ser marcada a falta e a expulsão do goleiro do Flamengo. Contudo, ainda sim, segue sendo algo interpretativo.

Nas mudanças das regras, nada mudou com relação ao lance em questão. Ou seja, se o goleiro comete a infração citada para impedir um lance claro de gol, o cartão vermelho deve ser aplicado. Foi assim em outros casos, como o de Cássio, do Corinthians; Magrão, quando atuava no Sport e até Buffon, na Juventus.

O VAR, em meu ver é algo positivo. Porém, com algumas pontos a serem melhorados. Não adianta o auxílio, várias câmeras e ângulos, se colocam em jogo a parada do "interpretativo". Ou seja, pode acontecer o que for, ser mostrado o que for, mas a última opinião é do árbitro principal. Meio que contraditório. E por isso, tanta confusão quando o "astro" entra em cena.

Por fim, o prejudicado mesmo foi o Athlético-PR. E num lance primário, que até em futebol de rua ou várzea é de conhecimento. Decisão grotesca da arbitragem que pode prejudicar ainda mais e acabar com um trabalho de dias, semanas, meses. Parece que as vezes um lado pesa mais que o outro. Algo que era para ser justo, foi injusto. Estranho. Esquisito e anormal. Assim, desse jeito, o VAR junto de sua amiga arbitragem VARcilaram. 

O site Todo Segundo não se responsabiliza pelos conteúdos publicados nos blogs dos seus colaboradores.
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.