Dólar hoje 4,102
23ºC em Arapiraca, Alguns chuviscos
Saúde
Postada em 26/03/2019 12:56 | Por Assessoria
Equoterapia é implantada na APAE de Palmeira dos Índios
Utilização de cavalos como meio terapêutico proporciona diversos benefícios para pacientes
Equoterapia é implantada na APAE de Palmeira - Foto: Assessoria

Depois de muita espera, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Palmeira dos Índios começou a fornecer mais um serviço para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes: a equoterapia. O método utiliza o cavalo como meio terapêutico para trabalhar as necessidades dos pacientes, a depender de cada patologia. O cavalo, nesse sentido, age como principal condutor na sessão equoterápica, uma vez que por si só os movimentos multidimensionais do trotar do animal proporcionam ricos benefícios para aquele que faz a montaria.

A prática da equoterapia fortalece tanto a coordenação motora, sendo efetiva, por exemplo, no controle de tronco, quanto os circuitos neuronais, ativa as sinapses e estimula áreas cerebrais deficitárias do praticante.

O serviço tem comprovado evolução nos quadros de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), Síndrome de Down, Paralisia Cerebral, Acidente Vascular Cerebral, quadros de paraplegia, Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), entre outros já trabalhados na própria instituição, em formato ambulatorial. Vale ressaltar que o novo serviço implantado não substitui os já ofertados, apenas acrescenta uma nova estimulação no tratamento dos que já fazem uso, seja na área da fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicopedagogia, enfermagem, serviço social, médico, entre outros.

A presidente da APAE Rouse Rocha explica como o paciente pode participar das sessões de equoterapia. "Para que o paciente possa iniciar as sessões na equoterapia, é necessário passar por avaliações na própria instituição para que seja elaborado um plano estruturado das sessões no cavalo, a depender dos objetivos das especialidades que acompanharão o praticante nas sessões. Qualquer pessoa pode fazer uso do serviço, desde que seja avaliado pelos profissionais em equipe multidisciplinar. Os avanços da APAE têm mostrado o quanto efetivo está sendo o trabalho na luta pela inclusão de pessoas com deficiência", explica Rouse.

A APAE é presidida por Rouse Cristina da Rocha, atende mais de 400 pacientes, semanalmente, conta com cerca de 40 funcionários, todos empenhados pelo trabalho de inserção social e amor à causa das pessoas com deficiência.

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.