Dólar hoje 5,243
21ºC em Arapiraca, AL Chuvas esparsas
Saúde
Postada em 02/03/2022 12:49 | Por Assessoria
Bebês prematuros de Hospital em Arapiraca descansam em redes
As redes simulam o aconchego intrauterino, além de ser uma grande estratégia de humanização
Indicada apenas para pequenos pacientes em condições de estabilidade - Foto: Assessoria

Silêncio no quarto: as crianças estão descansando, em redes. Isso mesmo, no Hospital Nossa Senhora do Bom Conselho, em Arapiraca, bebês prematuros atendidos na Unidade Neonatal experimentam um tratamento terapêutico muito conhecido - adorado pelos nordestinos - e que tem efeitos na hemodinâmica.

“As redes simulam o aconchego intrauterino, além de ser uma grande estratégia de humanização. Elas proporcionam um melhor desenvolvimento neuropsicomotor; melhora do padrão flexor, aproximação da mão à linha média do corpo e da boca, dando simetria e melhorando a maturidade muscular, além de diminuir o stress o que contribui com um menor gasto energético, auxiliando no melhor ganho de peso”, esclareceu a fisioterapeuta do Complexo, Lívia Tereza.

Indicada apenas para pequenos pacientes em condições de estabilidade, as redes foram produzidas pela própria equipe do Regional, com apoio dos profissionais da Rouparia e por Dona Andrade, técnica de enfermagem, conhecida por suas habilidades manuais. Os pequenos artefatos de descanso seguem orientação da Rede Cegonha, do Ministério da Saúde.

A permanência dos bebês nas redes pode oscilar entre 6 e 12 horas, com mudança de postura indicada pelas profissionais em intervalos. “Os prematuros que podem deitar nelas precisam estar em condições de estabilidade, inclusive sem uso de equipamentos como o oxímetro. “O ar é o ambiente e nesses horários eles são poupados de manipulação e até as luzes são apagadas”, explicou Livia.

Hora do Descanso com Rotinas Organizadas

Além do uso das redes, o cuidado dos bebês na UTI Neo obedece a outros padrões e critérios de humanização, como as Rotinas Organizadas. “A escala dos profissionais tende a obedecer essas regras afim de que as crianças não sejam incomodadas. Os horários são agregados para que eles possam ser vistos e examinados, cuidados e alimentados para que descansem, sem dores ou aperreios”, reforçou o médico pediatra, Emanuel Fonseca. “Nas redes os bebês se sentem como no útero materno”, acrescentou.

O balanço das redes ainda não é uma prática, embora a depender do caso possa acontecer. “Também estamos estudando o uso de música”, comentou a fisioterapeuta. “O que não impede de que se fale e cante enquanto eles descansam”, finalizou a profissional, entusiasmada com as melhorias de seus pequenos pacientes em seus redários.

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.