Dólar hoje 5,173
19ºC em Arapiraca, AL Chuvas esparsas
André Avlis

Sobre o autor

Radialista, natural de Maceió, cresceu em Arapiraca e trabalhou nas rádios, Cidade, A Voz do povo é a voz de Deus, Metropolitana FM, Novo Nordeste, Nova FM e atualmente trabalha na Pajuçara FM.
Postada em 26/05/2021 19:08 | Atualizada em 26/05/2021 19:10
SELETIVA DA COPA DO BRASIL: Faz o Pix CBF, o espírito do 'Gigante ' reapareceu
ASA vence o CSE por 2 a 1 no tempo normal, leva a decisão para os pênaltis e bate o tricolor. Com a vitória, alvinegro garante vaga na Copa do Brasil 2022.
Foto: Reprodução: FAF TV

Não sei se foi presságio, prenúncio ou como chamam: "bola cantada". Mas a postagem de mais cedo parece que deu certo.

Mesmo com o leve favoritismo do CSE, o ASA conseguiu equilibrar as ações - sobretudo na vontade e na entrega. Mantendo, inclusive, um tabu de 22 anos. Já que a última vitória do CSE, em Arapiraca, foi em 1999.

O jogo:

O ASA começou a partida com uma postura totalmente da primeira partida. Adiantou as linhas e pressionou o time do CSE nos primeiros minutos. Já o tricolor veio com uma proposta de ser mais reativo (talvez esperando qual seria a do ASA). Em termos de ações, os times foram distintos. O ASA retendo mais a bola - fazendo o gol aos 26 minutos -, e tentando ter maior volume de jogo, contra um CSE mais vertical e buscando sair em velocidade.

Já no segundo tempo, que já era esperado aconteceu. Um CSE mais ofensivo e com uma marcação mais adiantada. Justamente para pressionar e encurralar a equipe alvinegra. A estratégia deu certo e aos 10 minutos, o empate veio em uma bola parada. Gol que desestabilizou a equipe alvinegra que teve um jogador expulso aos 19 minutos.

A partir deste momento, o time de Palmeira dos Índios fez o que não se deve. Ao invés de pressionar para "matar" o jogo, se retraiu com duas linhas de 4, talvez esperando um contra-ataque que findasse a partida. Apesar disso, houve um domínio territorial. Pressionado, o ASA se retraiu para buscar a "bola do jogo". E encontrou num contragolpe letal aos 38 minutos. Com isso, o jogo se desenrolou de forma truncada e e muito mais brigado, chegando assim aos pênaltis.

Nos pênaltis, o ASA venceu por 6x5. Tendo seu goleiro, Dida, como herói. Conseguindo assim a tão sonhada classificação para a Copa do Brasil 2022.

Em resumo, foi um jogo movimentado e com várias chances de ambas as partes. Embora o ritmo tenha baixado em determinados momentos do jogo - algo natural pela movimentação que houve.

Em meu post de mais cedo, citei as marcas alvinegras. Especialmente sobre ser altivo e se reerguer em momentos não favoráveis. A história mais uma vez se repetiu, o espírito de 'Gigante' veio à tona. Mais uma vez para reafirmar o quanto o ASA cresce em momentos adversos.

Vitória merecida. Por toda a entrega dos jogadores e por sempre acreditar que dava. Pois deu. Agora, é esperar pelo Pix da CBF.

O site Todo Segundo não se responsabiliza pelos conteúdos publicados nos blogs dos seus colaboradores.
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.