Dólar hoje 5,652
29ºC em Arapiraca, AL Tempo nublado
Brasil
Postada em 21/09/2020 08:32 | Por Último Segundo
Número de PMs envolvidos com milícia presos em 2020 ultrapassa 2019
Em 2020, nove operações levaram à prisão de Policiais Militares envolvidos com milícias no Rio de Janeiro. Nenhuma delas foi desenvolvida pela corregedoria da PM
Cabo Fernando Mendes Alves, que trabalha no Centro Presente, foi um dos milicianos presos - Foto: Reprodução / TV Globo

O número de PMs presos por envolvimento com milícias nos nove primeiros meses de 2020 já é maior do que o registrado nos dois anos anteriores inteiros. Um levantamento feito pelo Jornal Extra com base em denúncias do Ministério Público do Rio remetidas à Justiça pelos crimes de constituição de milícia privada, organização criminosa, corrupção passiva, extorsão e homicídio mostra que, este ano, 31 policiais militares foram para a cadeia por integrarem, chefiarem ou receberem propina para não combater grupos paramilitares. Em 2019, 19 PMs foram presos por ligação com milícias; em 2018, o número chegou a 26.

O batalhão que lidera o ranking de unidades onde trabalhavam os agentes envolvidos com milícias é o de Jacarepaguá, o 18º BPM, onde eram lotados sete PMs. O bairro também é a área de atuação de 17 dos policiais que trabalhavam para os grupos paramilitares. Estão na cadeia agentes envolvidos com as milícias de Rio das Pedras, Tirol e Asa Branca, todas comunidades da região.

Em 2020, nove operações levaram à prisão de PMs envolvidos com milícias — todas elas foram resultado de investigações conjuntas da Polícia Civil e do Ministério Público. Nenhuma delas foi desenvolvida pela Corregedoria da PM, órgão correcional da corporação.

Dos 31 agentes, apenas três são oficiais. Só um dos PMs já passou para a reserva: o capitão reformado Epaminondas de Queiroz Medeiros Junior, preso em janeiro na Operação Intocáveis 2, acusado de ser, desde 2014, um dos chefes da milícia de Rio das Pedras. Além de Queiroz, outros quatro policiais militares presos este ano são apontados pela Polícia Civil e pelo MP como chefes de milícia.

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.