Dólar hoje 5,188
23ºC em Arapiraca, AL Parcialmente nublado
Polícia
Postada em 22/06/2022 09:04 | Atualizada em 22/06/2022 18:35 | Por Todo Segundo
“Eu sei que a justiça não dá valor a pobre”, diz irmã de vaqueiro morto há 5 meses
A gente espera uma reposta dessa maldita justiça da terra. “Aqui só tem valor quem tem dinheiro”, desabafa Eliene Silva
vaqueiro Cristóvão Silva de Lima, 39 anos, foi morto a tiros no dia 8 de janeiro de 2022 em Cacimbinhas - Foto: Arquivo / Todo Segundo

Às vésperas de completar 6 meses, o assassinato do vaqueiro Cristóvão Silva de Lima, 39 anos, ocorrido em 08 de janeiro deste ano, ainda deixa uma série de perguntas sem respostas. O crime ocorreu Sítio Galinha dos Maias, zona rural de Cacimbinhas, Sertão de Alagoas.

Durante entrevista exclusiva à Rádio Viva FM 92,5 na manhã desta quarta-feira (22), uma irmã de Cristóvão disse acreditar que nada será feito para que os culpados paguem pelo crime e afirmou que a identificação dos suspeitos não acontece por que a família não tem dinheiro.

“Vai fazer 6 meses que covardemente, cruelmente, tiraram a vida do meu irmão, não só a dele e sim a metade da minha e de minha família. E até hoje, a gente espera uma reposta dessa maldita justiça da terra. Aqui só tem valor quem tem dinheiro”, desabafa Eliene Silva.

"A gente nem se quer sonha quem foi. Resumindo, com aqueles que covardemente tiraram a vida dele, nada vai ser feito, eu sei disso, eu sei que a justiça não dá valor a pobre, se não já tinha sido resolvido”, completou a irmã de Cristóvão bastante emocionada.

Ouça o Podcast acima da entrevista concedida ao Repórter Everton Luís

O crime

O vaqueiro Cristóvão Silva de Lima, 39 anos, foi morto a tiros no dia 8 de janeiro de 2022, em uma fazenda localizada no Sítio Galinha dos Maias, zona rural de Cacimbinhas. A família diz que o homem havia sido ameaçado por um cunhado 30 dias antes do crime.

De acordo com Eliene Silva, irmã da vítima, Cristóvão, dormia quando foi chamado na porta de casa pelos suspeitos que pediram um balde com água para colocar no radiador do carro em que eles estavam, uma vez que o veículo havia apresentado problemas mecânicos.

Nesse momento, a vítima pegou o balde com água e ao seguir em direção do veículo, um dos suspeitos efetuou cerca de quatro disparos. A irmã de Cristóvão, revela ainda que seu irmão tinha desavenças com outras pessoas que virou caso de polícia, mas que isso ficou só nas discussões. As causas do homicídio estão sendo investigadas pela delegacia de Cacimbinhas.

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.