Dólar hoje 5,548
30ºC em Arapiraca, AL Parcialmente nublado
Política
Postada em 09/10/2021 08:21 | Por Todo Segundo
Bolsonaro pode se filiar ao PP de Arthur Lira para eleição de 2022
Arthur Lira disse que cerca de 90% do partido quer o chefe do executivo no partido e, por isso, ele não será contra
O presidente da Câmara, Arthur Lira, e o presidente da República, Jair Bolsonaro - Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro já afirmou que pode se filiar ao PP do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para concorrer à reeleição em 2022. Presidente, sem partido desde 2019, aumenta poder do centrão no governo e diz que gostaria de ter ‘domínio’ de uma legenda

Em conversa com aliados, Arthur Lira disse que cerca de 90% do partido quer o chefe do executivo no partido e, por isso, ele não será contra. Bolsonaro teria pedido para escolher os candidatos que disputarão uma vaga no Senado pela sigla em 2022 para se filiar.

O presidente do PP e ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, se comprometeu com a condição apresentada pelo mandatário. Lira resistia a ter Bolsonaro no partido por temer prejuízo na tentativa de se reeleger como presidente da Câmara em 2023. O PP espera aumentar o número de eleitos na Câmara, no Senado e como governadores com a chegada de Bolsonaro.

“Tentei e estou tentando um partido que eu possa chamar de meu e possa, realmente, se for disputar a Presidência, ter o domínio do partido. Está difícil, quase impossível”, disse Bolsonaro. “Então, o PP passa a ser uma possibilidade de filiação nossa”, completou.

O presidente do PP é Ciro Nogueira, que aceitou convite de Bolsonaro para assumir a Casa Civil, num rearranjo ministerial feito para acomodar o centrão, grupo de partidos fisiológicos que passou a fazer parte da base de sustentação do atual governo no Congresso. Na mesma entrevista, Bolsonaro disse que foi “obrigado a fazer isso aí”, em referência à aproximação com o centrão. A justificativa apresentada pelo presidente foi a busca de “governabilidade”.

Bolsonaro está sem partido desde o fim de 2019, quando iniciou uma fracassada tentativa de criar o Aliança Pelo Brasil, sigla que não conseguiu o número de assinaturas exigido por lei. Antes de se aproximar do PP, ele tentou o Patriota, mas não houve consenso entre os membros da direção da sigla sobre recebê-lo ou não como filiado.

Os setores do PP mais resistentes à Bolsonaro estão na Bahia, Paraíba e Pernambuco. Caso se concretize, a filiação ao PP pode trazer novos problemas ao presidente, que teria de lidar com o fato de a sigla manter alianças regionais com o PT nesses estados.

Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.