Dólar hoje 3,774
23ºC em Arapiraca, Alguns chuviscos
Valdenice Guimarães

Sobre o autor

Valdenice Barboza Guimarães; Historiadora Psicóloga Clínica Comportamental. Membro fundadora do Instituto de Análise do Comportamento – IAC. Pós-graduada em Teorias e Técnicas Comportamentais: Educação, Pesquisa e Terapia.
Postada em 02/05/2019 11:24
Primeiro de maio: Dia de luta

No dia primeiro de maio de 1886, houve uma manifestação de milhares de trabalhadores nas ruas de Chicago, nos Estados Unidos, para reivindicar a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias.

No mesmo dia, foi deflagrada uma greve geral naquele país. Em 3 de maio, uma nova manifestação dos grevistas foi reprimida pela polícia. O conflito entre manifestantes e policiais foi inevitável, desencadeando a morte de inúmeros envolvidos e em dezenas de pessoas feridas.

No Brasil, o feriado existe oficialmente desde 1925, por um decreto assinado pelo presidente Artur Bernardes.

A Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), de 1943, também foi instituída no dia 1º de maio por meio do Decreto-Lei nº 5.452, pelo presidente Getúlio Vargas.

O Dia Internacional do Trabalhador, celebrado neste primeiro de maio, é uma data que serve para lembrar as conquistas e reforçar a luta pelos direitos trabalhistas. Portanto, o objetivo do feriado é de comemorar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história.

O Brasil, que atravessa uma das suas maiores crises políticas e econômicas da história, vivencia uma ampla reforma na legislação trabalhista que afetará a grande maioria dos trabalhadores.

Esta data representa o momento que os empregados e as empresas têm para refletir sobre as legislações trabalhistas, normas e demais regras de trabalho.

Nesta data, também, é homenageada a luta dos trabalhadores que reivindicaram por melhores condições trabalhistas.

A cada ano se constata o crescimento do desemprego.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,4% no trimestre encerrado em fevereiro, atingindo 13,1 milhões de pessoas. O número representa mais 892 mil pessoas desocupadas no país. Isso implica dizer que ainda há muito à lutar e conquistar.

Também, segundo o IBGE, 16,1% dos trabalhadores declaram estar insatisfeitos ou pouco satisfeitos com as condições de trabalho em relação ao que foi prometido quando aceitaram o emprego.

O número de trabalhadores insatisfeitos e outros que não têm oportunidade de trabalhar, cresce e coloca o Brasil em uma situação preocupante, frente a níveis de pobreza, ameaçando o processo de desenvolvimento de um povo e da nação.

Segundo Burrhus Frederic Skinner, “Os homens são felizes em um meio ambiente no qual o comportamento ativo, produtivo, e criativo é reforçado de forma efetiva. ”

Portanto, precisamos enaltecer e valorizar o homem enquanto ser produtivo. Pois, o mesmo se constrói através do trabalho

Para o professor e analista do comportamento Gérson Alves da Silva Júnior, sem o trabalho o homem não tem honra e sem honra se morre e se mata. Sem honra se destrói. Sem honra nada se constrói. Nesse sentido, é importante compreender que trabalhar é condição essencial, não somente pela manutenção financeira, mas pela dignificação da vida.

Trabalhar, se constitui numa parte importante na vida do ser humano, vai muito além do fato de que, através dele, satisfazemos nossas necessidades básicas e também nos constituímos enquanto pessoa. É importante parabenizar os trabalhadores, as famílias que exaltam o trabalho como modo de construção do homem.

O trabalho é vida!

O site Todo Segundo não se responsabiliza pelos conteúdos publicados nos blogs dos seus colaboradores.
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
*Marque Não sou um robô para enviar.
Compartilhe nas redes sociais:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.